EPIs hospitalares: quais são obrigatórios?

EPIs hospitalares

Até pouco tempo atrás, muitas pessoas acreditavam que o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) era necessário apenas em atividades profissionais potencialmente perigosas — como os trabalhos realizados em altura. Com a chegada da pandemia do novo coronavírus, entretanto, ficou evidenciada a necessidade dos dispositivos de segurança em ambientes hospitalares.

Embora hospitais, clínicas, laboratórios e postos de saúde não ofereçam risco de ocorrência de acidente do tipo físico, eles precisam seguir rigorosos padrões de segurança — o que inclui o uso de EPIs específicos. Isso acontece porque o trabalho nesses locais envolve contato com fluidos expelidos pelo organismo de pessoas adoecidas e até mesmo manipulação de produtos químicos que podem ser prejudiciais para o organismo.

Para evitar contaminações a disseminação de doenças, portanto, é fundamental que os profissionais sejam devidamente treinados a respeito dos perigos existentes em seu local de trabalho. Além dessa conscientização, é fundamental que todos recebam orientação específica a respeito da importância dos EPIs hospitalares e como usá-los corretamente.

Qual a importância da segurança hospitalar?

Os profissionais que atuam na área da saúde ficam constantemente expostos a riscos biológicos, que em geral se resumem a microrganismos causadores de doenças. Por conta do elevado risco de contaminação, há uma série de diretrizes que precisam ser seguidas para garantir a saúde do trabalhador e minimizar a possibilidade de que ocorram acidentes de trabalho e infecções.

Há, inclusive, uma Norma Regulamentadora específica para determinar as medidas de proteção e segurança necessárias para ambientes hospitalares. A NR 32 é responsável por definir as diretrizes básicas para quem trabalha com saúde. Isso certamente inclui o uso de Equipamentos de Proteção Individual pelos profissionais da área. A medida é fundamental para proteger os trabalhadores de agentes contaminantes.

No caso específico de quem trabalha diretamente com enfermos, o uso dos EPIs é fundamental não apenas para proteger o usuário, mas para garantir maior segurança ao atendimento. Isso porque muitos pacientes podem estar enfraquecidos imunologicamente, e o contato com microrganismos trazidos por médicos, enfermeiras e até mesmo por objetos pode colocar sua saúde em risco.

O mesmo cuidado vale para quem atua analisando amostras laboratoriais, e a falta de cuidado com a presença de vírus e bactérias pode comprometer o resultado dos exames. Estar atento aos devidos cuidados com a segurança hospitalar, portanto, garante a saúde dos trabalhadores e dos pacientes, além de trazer confiabilidade aos exames realizados.

O que diz a NR 32?

Considerada um complemento à Norma Regulamentadora de número 6, que trata justamente do uso de EPIs pelos profissionais de todas os segmentos de atuação, a NR 32 determina as medidas necessárias para garantir o controle de acidentes e contaminações em hospitais, clínicas e centros de pesquisa. Como foi explicado, isso inclui a obrigatoriedade do uso de dispositivos de segurança.

De acordo com a NR 6, é obrigação da empresa empregadora oferecer a seus empregados todos os EPIs necessários para que suas atividades profissionais sejam executadas com segurança. Isso deve ser feito sem custo para os funcionários, que também devem receber treinamento adequado para saber como manusear adequadamente cada um dos dispositivos fornecidos.

A NR 32, por sua vez, determina que todos os EPIs hospitalares devem ser disponibilizados em quantidade suficiente para garantir imediata reposição ou substituição sempre que necessário. Esta norma vale tanto para os dispositivos descartáveis como para os que podem ser utilizados mais de uma vez. As normas também incluem regras específicas e rigorosas de limpeza e descontaminação de todos os ambientes, de modo a evitar contaminações.

Quais são os principais EPIs hospitalares?

Os EPIs considerados obrigatórios no ambiente hospitalar dependem diretamente da área de atuação do profissional e do tipo de ação que será executada. Isso porque os dispositivos de segurança exigidos durante uma cirurgia naturalmente são diferentes daqueles necessários durante uma avaliação de triagem no pronto-socorro, por exemplo.

Apesar disso, é possível listar como principais EPIs hospitalares:

  • Luvas de proteção: devem ser descartáveis e trocadas a cada procedimento;
  • Sapatos fechados: de acordo com a NR 32, os calçados devem ser fechados para minimizar contaminações;
  • Avental: ajuda a barrar secreções e substâncias químicas;
  • Óculos de proteção: protegem os olhos do usuário contra secreções, componentes químicos, objetos cortantes e outros agentes que podem prejudicar a saúde;
  • Máscara cirúrgica ou Respirador N95: protege nariz e boca do usuário contra a contaminação respiratória e acidentes biológicos envolvendo material que pode ser inalado.

Especificamente no caso das luvas de procedimento, é importante ter em mente que existem diferentes tipos deste EPI. Para entender melhor sobre essas variações e a importância de cada uma delas, acesse o post “Luvas descartáveis de procedimento: por que usar?”.

Como escolher os EPIs ideais?

Para escolher os Equipamentos de Proteção Individual necessários para o ambiente hospitalar, é necessário que o local de trabalho seja devidamente avaliado pelo Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA). A partir desta avaliação, são definidos os EPIs hospitalares necessários para cada profissional de saúde.

Para que esses dispositivos realmente ofereçam a proteção necessária, entretanto, é importante que eles atendam à todas as exigências legais e sejam devidamente certificados. Desconsiderar a qualidade e a procedência do EPI pode gerar muitos transtornos e aumentar a ocorrência de doenças no trabalho. Isso, no caso de uma instituição de saúde, pode ser catastrófico para a população e para a imagem da empresa.

Nesse sentido, portanto, é fundamental sempre adquirir os EPIs hospitalares de um fornecedor confiável e que seja comprometido com a Segurança do Trabalho. É o caso da SafetyTrab, que oferece um variado portfólio formado pelas melhores e mais recomendadas marcas de equipamentos de proteção existentes no mercado.

Nossa experiente equipe de engenheiros, técnicos de segurança e vendedores fazem uma seleção criteriosa dos EPIs. Nesse processo, são identificadas as opções mais modernas e seguras de dispositivos de proteção. Para ajudar ainda mais na escolha, a empresa oferece assessoria personalizada para as necessidades de cada cliente.

Quer entender como a SafetyTrab pode ajudar a levar mais eficiência e segurança para sua empresa? Entre em contato conosco! Se você quer receber mais informações sobre Segurança no Trabalho, deixe seu e-mail abaixo. Assim, você passa a receber todo o material informativo produzido regularmente por nossa equipe!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    20 − onze =

    WhatsApp chat