Cinta ergonômica: quando usar?

Essencial para proteger a coluna dos trabalhadores em diferentes setores da economia, a cinta ergonômica é um equipamento muitas vezes negligenciado. E não deveria, uma vez que dados da Organização Mundial de Saúde revelam que a dor nas costas é um dos problemas mais comuns entre os brasileiros.

Essencial para proteger a coluna dos trabalhadores em diferentes setores da economia, a cinta ergonômica é um equipamento muitas vezes negligenciado. E não deveria, uma vez que dados da Organização Mundial de Saúde revelam que a dor nas costas é um dos problemas mais comuns entre os brasileiros

Aproximadamente 80% da população em qualquer período da vida sofre com o problema. Os números são corroborados pelas visitas aos hospitais: a dor lombar é a segunda maior causa de ida dos pacientes aos consultórios médicos. Ela perde apenas para a dor de cabeça.

Por isso, o equipamento deve ser utilizado por trabalhadores dos mais diversos segmentos, dentre eles:

  • Construção civil;
  • Industrial;
  • Transporte;
  • Logístico e muito mais.

E engana-se quem acredita que aqueles que trabalham em setores administrativos não devem fazer uso da cinta ergonômica. Ela é essencial também para profissionais que trabalham em almoxarifados ou como operadores de telemarketing, por exemplo. 

Afinal, como o próprio nome sugere, ela protege contra riscos ergonômicos e, portanto, qualquer função que apresente esse tipo de perigo deve usar o equipamento.

Por que usar a cinta ergonômica?

A cinta ergonômica tem como objetivo proteger os colaboradores contra riscos ambientais, químicos, ergonômicos e biológicos

Neste caso, especificamente, o equipamento é direcionado à região lombar, garantindo a sustentação e impedindo que sejam realizados movimentos que favoreçam uma lesão.

Da mesma forma, quando sentamos ou trabalhamos o dia inteiro em uma posição inadequada, é possível que haja uma pressão desproporcional na região, causando trauma, desequilíbrio do sistema neuromuscular e outros problemas.

Cabe reforçar, ainda, que a região lombar é responsável pela sustentação de toda a parte superior do corpo. Ou seja, qualquer problema pode impedir a realização de tarefas diárias. 

R$38,41 à vista Em até 3x de R$13,48
A partir de R$38,41 à vista Em até 3x de R$13,48

Como escolher a cinta ergonômica ideal?

Bom, se você chegou até aqui já deve ter percebido que a cinta ergonômica é essencial em diversas funções, uma vez que oferece  uma sustentação extra para os músculos da lombar e do abdômen. Mas, isso não a torna obrigatória. 

A cinta ergonômica não é considerada um EPI e, portanto, não tem Certificado de Aprovação (CA). Apesar disso, é inegável que ela desempenha um papel fundamental em diversos segmentos. Afinal, as empresas são responsáveis pelos riscos ocupacionais.

Mas, como escolher o modelo ideal?

Não há segredo: a cinta deve ser adquirida em um fornecedor de confiança. E, preferencialmente, que entenda de equipamentos de proteção.

Deve-se priorizar, por exemplo, equipamentos que tenham uma base resistente e forte, que ofereça a sustentação adequada à região lombar, com faixas laterais ajustáveis. 

Outra dica é observar se o produto tem um suspensório também ajustável, que ajudará a manter o alinhamento correto na coluna vertebral.

O material de fabricação também é importante, uma vez que é ele quem garantirá o conforto e oferecerá maior durabilidade. Na prática, aliás, o equipamento deve ser confortável e não ter impacto direto na capacidade produtiva do trabalhador. 

E você, gostou da nossa dica? Continue acompanhando o nosso blog!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    💬 Precisa de ajuda?